Djambê - Percussão Africana - comum
00:00 / 00:00

I SEMINÁRIO - PATRIMÔNIO DE MATRIZ AFRICANA

Dias 14,15 e 16/11/2019

Na Casa de Cultura Fazenda Roseira

Sobre o evento: 

O 1º Seminário Patrimônio de Matriz Africana: Territórios, Artes e Educação - Tradição-Oral, consiste em uma iniciativa da Pós Graduação em Matriz Africana – lato-sensu, que elaborado a partir do desenvolvimento do referencial teórico da Tese: Matriz Africana em Campinas: territórios, memória e representação, somada a experiência da UNIVIDA – Universidade da Vida que juntamente à Facibra - Faculdade de Ciências de Wenceslau Braz e ao CEPIMA - Centro de Ensino Interdisciplinar de Matriz Africana, oferecem cursos livres e de pós-graduação em diversas áreas, tendo como foco a educação, a cultura e a arte. Neste seminário, convidamos alunos de graduação, mestres, doutores e público geral de todas as áreas do conhecimento para trocarmos experiências e saberes dentro desse vasto universo teórico da Matriz Africana.

Submissão de trabalho: 

Resumo expandido: até 3 páginas. Fonte: Arial 12, espaçamento 1,5.

Nome do(s) autor(es), instituição e formação no rodapé da primeira página.

Enviar o trabalho para o email: matrizafricanacepima@gmail.com, com a seguinte informação no cabeçalho do e-mail: Nome do eixo temático no qual deseja apresentar o trabalho.

Localização e Alimentação: 

> LOCAL DO SEMINÁRIO: R. Domingos Haddad, 1 - Residencial Parque da Fazenda, Campinas - SP, 13060-563 (Casa de Cultura Fazenda Roseira)

> Será servido almoço no local por R$:  25,00 PF (tradicional e vegetariano) com suco 

Oficinas: 

> Oficina - Comensalidade de Matriz Africana e os segredos da cozinha: Comendadora Ekedi Edna de Almeida Lourenço

> Oficina  - Toques Moçambicanos: Prof. Otis Selimane Remane

> Oficina - Histórias que Curam: Profa. Me. Suzana Montauriol

> Oficina - A preservação do Patrimônio Afro Brasileiro como ação política: Dra. Graça Teixeira

Datas Importantes:

Data do evento: 14, 15 e 16 de novembro.

 

Inscrição e submissão de trabalho: 10 de setembro a 25 de outubro.

 

Confirmação de aceite de trabalho: 02 a 08 de novembro.

Credenciamento: 

 O credenciamento ocorrerá logo na entrada da Casa de Cultura Fazenda Roseira, a partir das 15 horas de quarta- feira (14/11) .

Inscrições: 

> Participantes que apresentarão trabalho (Acadêmicos de todos os níveis e Especialistas): R$ 75,00

 

> Participante/Ouvinte (Acadêmicos de todos os níveis e Especialistas e Público Geral): R$ 40,00

> Por oficina (Acadêmicos de todos os níveis e Especialistas e Público Geral): R$ 25,00

Obs: As mesas redondas são abertas para todos os participantes inscritos no Seminário. 

Formas de pagamento:

> Cartão de Crédito e Boleto, através do link: https://lets.events/e/1-seminario-patrimonio-de-matriz-africana/?t=4b33e52b-a5d7-4a90-948d-ba0a9d924d73

> Transferência bancária: 

Banco do Brasil

Agência: 4260-9
Conta corrente: 00023588-1

Nome: Bianca Lucia Martins Lopes
CNPJ: 29.686.965/0001-61

OBS: (a efetivação da inscrição será feita mediante o envio do comprovante para o email: matrizafricanacepima@gmail.com, com as seguintes informações no cabeçalho do e-mail: Nome e CPF do participante, eixo temático caso tenha enviado trabalho, nome das atividades que irá acompanhar e/ou nome da oficina que participará).

 

> SOMENTE Inscrições de participantes no evento (que não apresentarão trabalho) e nas oficinas poderão pagar em dinheiro no credenciamento, no dia do evento.

Eixos Temáticos: 

> Território


> Educação Formal e Não-Formal em diálogo com as Leis 10. 639/03 e 11 645/08" 


> Educação  Patrimonial


> Linguagens Artísticas

Contato/Secretaria: 

>  matrizafricanacepima@gmail.com

> Maíra Silva 19 99409-5247

Programação:

14/11 quinta-feira

Local: Casa de Cultura Fazenda Roseira

19h Abertura Oficial  

19h30 Conferência de abertura:

Ancestralidade e Resistência em Mulheres Negras que Rodam - Profa. Dra. Claudia Alexandre – nesta conferência será apresentado as bases do conceito  Matriz Africana na Diáspora e o conceito de feminino ancestral na perspectiva da afrocentricidade,  reivindicando o protagonismo e a visibilização de mulheres negras que criaram e mantém  manifestações culturais a partir de experiências negro africanas como sambas, candomblés e batuques. Discutimos sobre o  legado desses corpos de negras invisibilidades na questão cultural, mas que foram fundamentais para a manutenção do que chamamos cultura afro-brasileira. Mediação: Profa. Dra. Alessandra Ribeiro.

21h30 Intervenção Artística

 TEN – Teatro Experimental do Negro sob a direção de Marcos Brytto

22h Encerramento

 

 

15/11 sexta-feira

Local: Casa de Cultura Fazenda Roseira

9h30 às 12h Mesa Territórios e Representação

Palestrantes: Prof. Dr. Juarez Tadeu de Paula e Mestre TC Silva /Mediador ​Prof. Dr. Antonio Filogenio de Paula Junior

12h às 14h Almoço

14h às 18h - Eixos Temáticos

 

Sala 1 – Eixo Território 

 

    Este eixo se propõe a refletir o Território em variadas perspectivas conceituais, entre elas: a geográfica, histórica, corporal, cultural e, com isto, gerar um campo reflexivo capaz de promover uma ampla perspectiva epistemológica de análise. O território ao ser pensado através dessas diferentes noções revela os caminhos da representação, cosmopercepção, filosofia, religião e da organização de matriz africana em diferentes espaços e temporalidades desde os primórdios da escravidão até os dias de hoje. São territórios diaspóricos do saber que precisam ser compreendidos no seu incessante movimento de Ser. Coordenação: Prof. Dr. Antonio Filogenio de Paula Jr. e Profa. Doutoranda Claudia Fernanda dos Santos.

Sala 2 - Eixo Educação Formal e Não-Formal em diálogo com as Leis 10. 639/03 e 11 645/08" 

      O objetivo deste eixo é discutir a educação no contexto formal e não-formal sobre o Ensino da História e Cultura Afro-brasileira e Indígena. Nesse sentido, acolhe trabalhos individuais e coletivos que envolvem investigações teóricas, metodológicas, práticas educativas, políticas, pedagógicas e artísticas relacionadas a este tema. Objetiva-se que as discussões suscitadas pelas investigações apontem caminhos possíveis dentro e fora da escola, para uma melhoria da qualidade e do entendimento dos saberes afro-brasileiros e indígenas de forma integral e urgente em diferentes contextos e situações de ensino-aprendizagem. Coordenação Profa Dra. Jacyara Paiva,  Prof. Doutorando Henrique Dutra e Prof. Doutorando Wilson Queiroz.

Sala 3 – Eixo Educação  Patrimonial

Admitindo que a especificidade da Educação Patrimonial reside na partilha dos meios de produção e gestão coletiva/ comunitária do patrimônio cultural, e não propriamente na transmissão de conteúdos sobre um patrimônio dotado de sentidos pré definidos por especialistas, este eixo se abre aos diálogos sobre investigações, experiências e trabalhos que propõem caminhos interculturais e pedagogias decoloniais para a Educação Patrimonial, com especial ênfase sobre a oralidade e a corporeidade. Queremos cartografar e conectar sujeitos e comunidades que constroem esse campo como uma prática dialógica, inclusiva e libertária, exercendo o direito e a responsabilidade coletiva na recriação/ preservação dinâmica das matrizes culturais que vivem. Coordenação: Profa. Dra. Juliana Siqueira e Profa. Doutoranda Marta Ferreira.

Sala 4  - Eixo Linguagens Artísticas

Este Eixo propõe a reflexão, discussão e problematização das linguagens artísticas mobilizadas pelos processos criativos de protagonismo e de presença das matrizes afro-brasileiras. Pretende-se promover encontros e diálogos que evidenciem a multiplicidade de experiências, investigações e produções artísticas afrodiaspóricas, simbólicas e de cosmologia, abrindo caminhos para rupturas e decolonização de perspectivas estéticas, epistemológicas e metodológicas de análise colonizadoras, seja em dança, teatro, performance, artes visuais, cinema, literatura, etc. Coordenação Profa. Dra. Patrícia Prado e Prof. Me. Marcos Brytto.

17h às 20h Oficinas

Oficina 1 - Comensalidade de Matriz Africana e os segredos da cozinha: Comendadora Ekedi Edna de Almeida Lourenço

Oficina 2 – Toques Moçambicanos: Prof. Otis Selimane Remane

20h Intervenção Artística - sob a direção de Marcos Brytto

16/11 Sábado

Local: Casa de Cultura Fazenda Roseira

9h30 às 12h Mesa Patrimônio, Memória e Educação de Matriz Africana

Palestrantes: Profa. Doutoranda Luci Micaela e Prof. Me Natanael Santos- ganhador do prêmio Leão de Ouro

(Cannes 2019)  /Mediadora: Dra. Carol Jango

12h às 14h Almoço

14h às 18h - Eixos Temáticos

 

Sala 1 – Eixo Território 

 

    Este eixo se propõe a refletir o Território em variadas perspectivas conceituais, entre elas: a geográfica, histórica, corporal, cultural e, com isto, gerar um campo reflexivo capaz de promover uma ampla perspectiva epistemológica de análise. O território ao ser pensado através dessas diferentes noções revela os caminhos da representação, cosmopercepção, filosofia, religião e da organização de matriz africana em diferentes espaços e temporalidades desde os primórdios da escravidão até os dias de hoje. São territórios diaspóricos do saber que precisam ser compreendidos no seu incessante movimento de Ser. Coordenação: Prof. Dr. Antonio Filogenio de Paula Jr. e Profa. Doutoranda Claudia Fernanda dos Santos.

Sala 2 - Eixo Educação Formal e Não-Formal em diálogo com as Leis 10. 639/03 e 11 645/08" 

      O objetivo deste eixo é discutir a educação no contexto formal e não-formal sobre o Ensino da História e Cultura Afro-brasileira e Indígena. Nesse sentido, acolhe trabalhos individuais e coletivos que envolvem investigações teóricas, metodológicas, práticas educativas, políticas, pedagógicas e artísticas relacionadas a este tema. Objetiva-se que as discussões suscitadas pelas investigações apontem caminhos possíveis dentro e fora da escola, para uma melhoria da qualidade e do entendimento dos saberes afro-brasileiros e indígenas de forma integral e urgente em diferentes contextos e situações de ensino-aprendizagem. Coordenação Profa Dra. Jacyara Paiva e Prof. Doutorando Henrique Dutra.

Sala 3 – Eixo Educação  Patrimonial

 Admitindo que a especificidade da Educação Patrimonial reside na partilha dos meios de produção e gestão coletiva/ comunitária do patrimônio cultural, e não propriamente na transmissão de conteúdos sobre um patrimônio dotado de sentidos pré definidos por especialistas, este eixo se abre aos diálogos sobre investigações, experiências e trabalhos que propõem caminhos interculturais e pedagogias decoloniais para a Educação Patrimonial, com especial ênfase sobre a oralidade e a corporeidade. Queremos cartografar e conectar sujeitos e comunidades que constroem esse campo como uma prática dialógica, inclusiva e libertária, exercendo o direito e a responsabilidade coletiva na recriação/ preservação dinâmica das matrizes culturais que vivem. Coordenação: Profa. Dra. Juliana Siqueira e Profa. Doutoranda Marta Ferreira.

Sala 4  - Eixo Linguagens Artísticas

  Este Eixo propõe a reflexão, discussão e problematização das linguagens artísticas mobilizadas pelos processos criativos de protagonismo e de presença das matrizes afro-brasileiras. Pretende-se promover encontros e diálogos que evidenciem a multiplicidade de experiências, investigações e produções artísticas afrodiaspóricas, simbólicas e de cosmologia, abrindo caminhos para rupturas e decolonização de perspectivas estéticas, epistemológicas e metodológicas de análise colonizadoras, seja em dança, teatro, performance, artes visuais, cinema, literatura, etc. Coordenação Profa. Dra. Patrícia Prado e Prof. Me. Marcos Brytto.

17h às 20h Oficinas

Oficina 1 - Histórias que Curam: Profa. Me. Suzana Montauriol

Oficina 2 - A preservação do Patrimônio Afro Brasileiro como ação política: Dra. Graça Teixeira

20h ás 00h Festa de encerramento 

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now